Prefeitura Carvalhópolis - Prefeito e servidores visitaram Conselho Diretor da FUVS
Prefeito e servidores visitaram Conselho Diretor da FUVS
18 de outubro de 2018
Saúde na Escola
24 de outubro de 2018

PATRIMÔNIO CULTURAL – DIVULGAÇÃO 2018

PATRIMÔNIO CULTURAL – DIVULGAÇÃO 2018

Motivação do inventário: o local que hoje abriga o Centro de Saúde de Carvalhópolis já foi, na década de 70, a sede da Escola Estadual João de Paula Caproni. Localizado no centro da cidade e envolto de bens tombados pelo município, como a Praça Monsenhor Dutra e a Imagem de São Sebastião, o Centro de Saúde é o único local destinado a atendimentos no âmbito da saúde em Carvalhópolis. Devido a sua importância histórica na trajetória do município, servindo à instrução e à saúde local, é que o bem foi inventariado como Patrimônio Cultural.

 Motivação do inventário: o local que hoje abriga o setor administrativo de saúde de Carvalhópolis já foi, na década de 70, a sede da Escola Estadual João de Paula Caproni, salão de festas, e nas décadas de 80, 90 e até meados dos anos 2000, foi utilizado como ambulatório. Localizado no centro da cidade e envolto de bens tombados e inventariados pelo município, como a Praça Monsenhor Dutra, Imagem de São Sebastião e Centro de Saúde, é na edificação que são realizados os agendamentos para consultas e a retirada de medicamentos gratuitos em Carvalhópolis. Devido a sua importância histórica na trajetória do município, servindo à instrução e à saúde local, é que o bem foi inventariado como Patrimônio Cultural.

Motivação do inventário: a Praça Monsenhor Dutra começou a ser construída no segundo mandato de João de Paula Caproni, teve a construção de seus jardins finalizada na gestão de Antônio José de Carvalho, ao final da década de 1960, recebendo melhorias na segunda gestão do mesmo, na década de 1990. A praça possui grande valor para os cidadãos, sendo ponto de encontro, lazer, descanso. O local sedia os principais eventos citadinos, constituintes do patrimônio cultural local, como as Festas de São Sebastião e São Vicente de Paulo, o desfile da Rainha do Rodeio, a Festa Junina. Devido à sua importância história, cultural e afetiva é que o bem foi inventariado e tombado como patrimônio de Carvalhópolis.

 

Motivação do inventário: a Igreja Matriz de São Sebastião foi construída de maneira simples na década de 1920 e sofreu acréscimos e melhorias no decorrer dos anos, até se tornar a edificação de destaque que observamos hoje no coração de Carvalhópolis. A religião e a religiosidade desempenham papel importante em Carvalhópolis, uma vez que, além da dimensão da fé, está relacionada aos principais eventos sociais e culturais da cidade. Devido à sua importância histórica, cultural, religiosa e arquitetônica é que o bem foi inventariado como patrimônio de Carvalhópolis.

Motivação do inventário: o coreto integrava o projeto original da Praça Monsenhor Dutra. Quando retirado, em virtude de modificações no traçado da Praça, foi levado para Escola Balãozinho Vermelho. O bem foi inventariado como patrimônio cultural devido ao seu contexto histórico de criação na década de 1960.

Motivação do inventário: a primeira missa realizada no arraial que deu origem à Carvalhópolis foi realizada em 17 de maio de 1912 sob uma frondosa árvore copaíba. Em 1952, na comemoração aos 40 anos de fundação, o mesmo rito foi feito sob a última árvore copaíba da localidade, onde está inserida a Praça Monsenhor Dutra. Desde então, a copaíba tornou-se símbolo de Carvalhópolis, o que motivou o inventário e tombamento da árvore.

Motivação do inventário: A Festa de São Sebastião que, em 2018, teve a sua 89ª edição realizada, é o festejo mais tradicional de Carvalhópolis. Nos dez dias de festa, ela envolve a comunidade tanto na parte religiosa quanto na social. Devido a sua importância histórica, cultural e religiosa é que o bem foi inventariado como patrimônio de Carvalhópolis.

Motivação do inventário: A celebração dos Três Reis Magos em Carvalhópolis ocorre desde a fundação do arraial, em 1912, embora não houvesse um grupo específico pela sua ocorrência. Em 1943 foi criada uma Companhia/Folia de Reis em Carvalhópolis pelo mestre Geraldo Pereira. Devido à importância histórica, cultural e devocional, é que o bem foi inventariado como patrimônio de Carvalhópolis.

Motivação do inventário: a Festa de São Vicente de Paulo, realizada à 46 anos, é um dos festejos mais tradicionais do município, perpetuando as comemorações em louvor aos santos e a realização das famosas quermesses. Devido à sua importância histórica, religiosa e assistencial é que o bem foi inventariado como patrimônio de Carvalhópolis.

Motivação do inventário: A congada carvalhopolitana foi fundada em 1956 por Luis Crispim Matias com o nome de congada de São Sebastião, quando o município era denominado Cana do Reino. Em 2005, a congada foi reativada no município como Congada de Santa Efigênia e, desde então, vem difundindo a fé e a cultura de influência afro-brasileira. Devido ao seu valor histórico e cultural o bem foi inventariado e registrado como patrimônio de Carvalhópolis.

Motivação do Inventário: A Festa Junina realizada pela Escola Municipal Maria Caproni ocorre em Carvalhópolis há mais de 30 anos. O festejo celebra e difunde as tradições populares brasileiras na Praça Monsenhor Dutra através de danças e comidas típicas. Devido a sua importância histórica e cultural, o bem foi inventariado como patrimônio local.

Motivação do inventário: O local onde hoje se encontra a Casa de Cultura de Carvalhópolis foi a primeira sede da prefeitura municipal. O local também sediou inúmeros empreendimentos citadinos, como farmácia, agência dos Correios e o Conselho Tutelar. Devido à sua importância cultural e histórica é que o bem foi inventariado como patrimônio cultural.

Motivação do inventário: A Igreja Matriz de São Sebastião foi construída de maneira simples na década de 1920 e sofreu acréscimos e melhorias no decorrer dos anos, até se tornar a edificação de destaque que observamos hoje no coração de Carvalhópolis. A religião e a religiosidade desempenham papel importante em Carvalhópolis, uma vez que, além da dimensão da fé, está relacionada aos principais eventos sociais e culturais da cidade. O relógio foi instalado em sua torre na década de 1940, convidando e demarcando as atividades litúrgicas da paróquia. Devido à sua importância histórica, cultural, religiosa é que o relógio foi inventariado como patrimônio de Carvalhópolis.