Simbolos do Município


LEI 1482 DE 06 DE OUTUBRO DE 2021 Dispõe sobre adequações de símbolos do município de Carvalhópolis,adotados pela Lei 264/74, e intuição do Hino à Carvalhópolis, considerando a legislação respectiva.

O Brasão, adotado como símbolo do município de Carvalhópolis tem a seguinte descrição heráldica: Escudo semnítico, encimado pela coroa mural de oito torres, de prata. Em campo de azul e verde, cortados por uma faixa branca e azul em linhas onduladas, no alto as cinco estrelas representando o Cruzeiro do Sul, no centro, a árvore de carvalho com quatro galhos, sustentados por tronco com três raízes, ladeados pela esquerda com dois ramos de milho com duas robustas espigas em cada ramo, e pela direita um ramo de café. Abaixo do escudo um listel em azul contendo em números e letras em branco, os milésimos “1912-1953” ladeado a divisa: CARVALHÓPOLIS. As cores adotadas neste brasão (Azul, branco e verde) são as mesmas cores idealizadas pelo vereador Paulo Carvalho instituídas pela Lei 264 de 13 de março de 1974. Simbologia: O escudo samnistico, usado para representar o brasão de armas de Carvalhópolis, foi o primeiro estilo de escudo introduzido em Portugal, por influência Francesa, herdado pela heráldica Brasileira como evocativo da raça colonizadora e principal formadora da nossa nacionalidade. A coroa mural que sobrepõe, sendo de oito torres de prata, que significa tratar-se de um município emancipado, das quais apenas cinco torres são visíveis em perspectiva no desenho. É o símbolo privativo dos brasões de domínio que, pela quantidade de torres que ostenta e a cor do metal em que é representada, classifica a cidade como um município emancipado. A cor azul presente na bandeira, representado no campo do escudo, retrata o céu. O branco e azul em faixa na forma de águas corretes, ressalta as riquezas hidrográficas, representa o Rio Dourado que banha e abastece o município. O verde oliva, representa nossas matas, nossos cafezais, riquezas disponíveis no município e fonte de renda da maioria dos munícipes. No Centro a “árvore de Carvalho” sustentada por três raízes representando os três irmãos portugueses, “Carvalho da Silva”. Tomé Carvalho da Silva, Baltazar Carvalho da Silva e Bernardo Carvalho da Silva, posseiros no município e disseminadores do sobrenome Carvalho na região, oriundos de Guaipava (hoje Carvalhos) antigo distrito de Aiuruoca. Os quatro galhos na árvore lembram os Senhores: Antônio Cândido de Carvalho (Coronel), João Honorato de Carvalho, João Felipe de Carvalho e Cristóvão Pereira de Carvalho que alavancaram a ideia de formar o município, doaram terras e materiais para as primeiras edificações. Ramos de Milho e de café frutificados ladeados ao brasão, representam as principais culturas do município fonte de renda do agricultor Carvalhopolitano. No Listel nas cores Azul e Branco, o ano de 1912 assinala o ano que se celebrou a primeira missa campal debaixo do Óleo de Copaíba no dia 17 de maio, celebrada por Monsenhor Antônio Olintho de Paiva Dutra e se registrou a data de fundação do município. O ano de 1953, data que se deu a emancipação do Distrito de Cana do Reino para categoria de Cidade no dia 12 de dezembro pela força da Lei Estadual 1.039.

Arquivos para baixar

Lei nº 264 de 1974- Brasão e Bandeira Baixar Lei

Projeto de Lei nº 14- Adequação dos simbolos municipais Baixar Projeto

Lei nº 1482 de 2021- Adequação dos simbolos municipais Baixar Lei

Brasão do Município



Bandeira do Município



Hino de Carvalhópolis


Salve, ó terra feliz dos Carvalhos

E de um povo operante e gentil

Salve, ó terra mais jovem de Minas

Que nasceste encantando o Brasil.

Carvalhópolis, nós te louvamos

Neste hino vibrante e sem par

Nossas vidas por ti consagramos

Só tua glória nos há de exaltar.

Tantas flores nos prados, nas serras

Tantas cores de luz no arrebol

Outra jóia maior tu encerras

De teus filhos a alma de escol.

Sob a árvore frondosa e perene

Floresceu por encanto uma cruz

Sacerdote proclama e anuncia

Teu destino nas mãos de Jesus.

Quando ao longe te vemos na serra

Toda feita de flocos de luz

Eis a imagem de amor minha terra

Que no porvir ao progresso conduz.