Simbolos do Município


LEI 1482 DE 06 DE OUTUBRO DE 2021 Dispõe sobre adequações de símbolos do município de Carvalhópolis,adotados pela Lei 264/74, e intuição do Hino à Carvalhópolis, considerando a legislação respectiva.

O Brasão, adotado como símbolo do município de Carvalhópolis tem a seguinte descrição heráldica: Escudo semnítico, encimado pela coroa mural de oito torres, de prata. Em campo de azul e verde, cortados por uma faixa branca e azul em linhas onduladas, no alto as cinco estrelas representando o Cruzeiro do Sul, no centro, a árvore de carvalho com quatro galhos, sustentados por tronco com três raízes, ladeados pela esquerda com dois ramos de milho com duas robustas espigas em cada ramo, e pela direita um ramo de café. Abaixo do escudo um listel em azul contendo em números e letras em branco, os milésimos “1912-1953” ladeado a divisa: CARVALHÓPOLIS. As cores adotadas neste brasão (Azul, branco e verde) são as mesmas cores idealizadas pelo vereador Paulo Carvalho instituídas pela Lei 264 de 13 de março de 1974. Simbologia: O escudo samnistico, usado para representar o brasão de armas de Carvalhópolis, foi o primeiro estilo de escudo introduzido em Portugal, por influência Francesa, herdado pela heráldica Brasileira como evocativo da raça colonizadora e principal formadora da nossa nacionalidade. A coroa mural que sobrepõe, sendo de oito torres de prata, que significa tratar-se de um município emancipado, das quais apenas cinco torres são visíveis em perspectiva no desenho. É o símbolo privativo dos brasões de domínio que, pela quantidade de torres que ostenta e a cor do metal em que é representada, classifica a cidade como um município emancipado. A cor azul presente na bandeira, representado no campo do escudo, retrata o céu. O branco e azul em faixa na forma de águas corretes, ressalta as riquezas hidrográficas, representa o Rio Dourado que banha e abastece o município. O verde oliva, representa nossas matas, nossos cafezais, riquezas disponíveis no município e fonte de renda da maioria dos munícipes. No Centro a “árvore de Carvalho” sustentada por três raízes representando os três irmãos portugueses, “Carvalho da Silva”. Tomé Carvalho da Silva, Baltazar Carvalho da Silva e Bernardo Carvalho da Silva, posseiros no município e disseminadores do sobrenome Carvalho na região, oriundos de Guaipava (hoje Carvalhos) antigo distrito de Aiuruoca. Os quatro galhos na árvore lembram os Senhores: Antônio Cândido de Carvalho (Coronel), João Honorato de Carvalho, João Felipe de Carvalho e Cristóvão Pereira de Carvalho que alavancaram a ideia de formar o município, doaram terras e materiais para as primeiras edificações. Ramos de Milho e de café frutificados ladeados ao brasão, representam as principais culturas do município fonte de renda do agricultor Carvalhopolitano. No Listel nas cores Azul e Branco, o ano de 1912 assinala o ano que se celebrou a primeira missa campal debaixo do Óleo de Copaíba no dia 17 de maio, celebrada por Monsenhor Antônio Olintho de Paiva Dutra e se registrou a data de fundação do município. O ano de 1953, data que se deu a emancipação do Distrito de Cana do Reino para categoria de Cidade no dia 12 de dezembro pela força da Lei Estadual 1.039.

Brasão do Município



Bandeira do Município